20.8.15

Libertem-se

Digam tudo aquilo que quiserem neste post, tudo aquilo que vos vier à cabeça ou que precisem de desabafar. Digam tudo sem dizer nada. Sobre mim ou sobre vocês, em anónimo ou com a vossa identidade. Libertem tudo aquilo que vos vai na alma e sintam-se livres! - responderei no próprio post se assim for preciso -

77 comentários:

  1. PRECISO DE ACABAR A MERDA DO MESTRADO E NÃO SEI SE CONSIGO. Odeio ser perfeccionista. Preciso de dinheiro. Para ir a Dublin. Para viver, para sair de casa. Preciso de ir trabalhar. preciso de despachar o mestrado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respira fundo. Expira, inspira. Como tudo na vida, as melhores coisas dão trabalho. E tenho a certeza que vais conseguir acabar com sucesso o teu mestrado! Quanto ao dinheiro, aquilo que estás a fazer com a tua loja é um ato de grande coragem e de grande passo em frente para Dublin! Boa sorte com tudo, miúda, tu mereces!

      Excluir
    2. Obrigada Oliviazinha. É sempre bom ouvir estas coisas :)

      Excluir
    3. ah e btw a minha monetização no BP continua a zeros lol

      Excluir
    4. Wut a sério? Vamos esperar para ver! Depois diz algo (:

      Excluir
    5. a monetização continua a zeros, mas agora há anúncios no blogue xD na barra do BP

      Excluir
  2. Quero uma pessoa de volta na minha vida mas sei que ela está muito diferente e nunca iria aceitar falar comigo outra vez. E isso dói.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto a isso, compreendo-te e sei do que falas. Tenta, pelo menos um dia mais tarde se não correr bem podes dizer "Pelo menos tentei" e sinceramente, ele/a é que perde porque és uma pessoa fantástica! Espero que as coisas se resolvem e um conselho, permanece sempre tu própria.

      Excluir
    2. Obrigada pelo conselho, é o que tento sempre fazer. Tenho muita pena porque ela foi a minha melhor amiga numa altura muito importante na minha vida e sinto que lhe falhei, como ela me falhou a mim. Mas pronto, um dia pode ser que o destino nos coloque no mesmo caminho.

      Excluir
    3. Entendo bem aquilo que dizes! Espero que realmente consigas retomar essa amizade e se não conseguires, há mais pessoas no mundo, por muito que custe pensar nisso agora!

      Excluir
    4. Espero que tudo melhore! Muita força!

      Excluir
  3. Ahahah, arriscas-te a muito, com este tipo de "abertura". Não falo por mim, que sou um tipo decente e bem educado (cof cof cof), mas andam aí malucos à solta. Põe-te a pau.

    Pronto, eu até precisava de um ombro amigo para chorar, mas tu é muito grande e não me dá jeito chorar em cima do escadote... tenho tonturas e posso cair. ahahahahahahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juro, és demais! Rio-me sempre que aqui vens, obrigada por existires está bem?

      Excluir
    2. Tá bem, eu vou tentar existir por muito tempo. :)))

      Excluir
  4. Sinto que a comunidade portuguesa bloggers não se ajuda muito entre si. É como se já tivessem criado vários grupinhos de blogueiros e ninguém mais entra no círculo.
    Sei que não se deve fazer comparações, mas a diferença de no brasil os blogs serem algo "grande" é porque lá eles interagem e ajudam-se uns aos outros, coisa que não acontece em portugal.
    By the away, adoro o teu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto ao que aqui disseste concordo um bocado, há bloggers um pouco antipáticos, mas a verdade é que não somos todos iguais e não podemos generalizar. Se precisares de algo estou sempre aqui para ajudar!
      E obrigada pelo elogio! <3

      Excluir
  5. Tenho medo de não conseguir alcançar o quero tenho medo de falhar e tenho medo de tudo tenho medo de não arranjar emprego para pagar o que quero tenho medo de não conseguir nada do quero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda a gente tem esse medo, até eu própria. Mas temos de viver um dia de cada vez e não sofrer por antecipação! O segredo é viver o hoje!

      Excluir
    2. Sim e se correr mal o que fazo ir para Lisboa é tudo o quero agora e por isso que estou a tentar lutar e se nao conseguir

      Excluir
    3. Pensamento positivo! Se não conseguires, não será o fim do mundo e há sempre outras opções! Nada está perdido, força!

      Excluir
    4. Obrigada acerio as tuas palavras já em fizeram bem

      Excluir
  6. Tenho medo de ficar para trás. De ver todos os meus amigos afastarem-se e de os perder um a um sem que possa fazer alguma coisa. Tenho medo de voltar a ficar sozinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por muito sozinha que penses estar, há sempre alguém. E quando não houver, estarei aqui se precisares!
      Quanto aos teus amigos propriamente ditos se te fazem sentir assim tão insegura, não são realmente teus amigos. Os amigos dão certezas e felicidade.

      Excluir
    2. Oh, és uma querida :3
      Às vezes a distância afasta. O meu medo não é perder a relação, não totalmente. Só não quero passar a ter aquele tipo de conversas estranhas ao estilo de "Olá, então tudo bem? Sim e contigo? Também? Então e algo de novo? Não e contigo? Também não SILÊNCIO CONSTRANGEDOR". Não quero ser uma estranha no meu próprio grupo...

      Excluir
    3. Entendo o que queres dizer! E espero que isso não te aconteça. Pessoalmente, já me aconteceu imensas vezes e simplesmente olha, é o ciclo da vida.

      Excluir
    4. Exatamente! E eu costumo aceitar bem estas separações, imensas vezes disse "Não é por mal, são só as circunstâncias da vida" e é isso mesmo que neste momento me está a chatear. O saber que pode acontecer, mas sentir-me impotente.

      Excluir
  7. Não sei mas já faz tempo que me sinto só. Posso estar com os meus amigos e estar bem mas sinto-me sozinho e isolado de tudo.
    Sinto que gostava de estar a viver o passado. Queria trocar o passado pelo presente.
    Talvez não esteja tão feliz como no passado, espero que seja só uma má fase da vida, sei que isto um dia irá acabar.
    Sinto-me confuso porque a escola também está a começar e eu só quero acabar o secundário com boas notas para estudar o que bem quero. Tenho bastantes objetivos e sinto que não consigo cumprir nenhum. é frustrante.

    Adorei este post e quando vi pensei: ''Porque é que não me lembrei disto antes'' pois só tu para me fazeres pensar isto! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos dessas fazes. E falo por experiência própria, eu tenho fazes dessas. Deixei de as ter quando conheci o Jota. Agora sinto que tenho alguém que não me deixa ficar sozinha, nunca. E isso é tão bom.
      Quanto ao resto, espero que te consigas encontrar e que sobretudo sejas sempre tu próprio. Sempre . e luta sempre. O destino recompensa os trabalhadores.
      Aw obrigada Nuno a sério!

      Excluir
  8. Às vezes apetece-me cometer uma loucura. Sinto que tenho dentro de mim um monstro que a qualquer momento pode sair cá para fora e fazer estragos às pessoas e não quero isso. Não sei que pessoa sou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. És uma pessoa normal como tantas outras. Todos temos os nossos momentos de loucuras. Somos humanos ou seja, sentimos. E isso é o bom da vida.
      Quanto ao facto de te sentires assim, desabafa tudo. Com um amigo ou com um estranho, tenho a certeza que te irás sentir muito melhor.

      Excluir
    2. O problema é que me sinto sozinha e não tenho confiança em ninguém para o fazer. E mesmo que o queira, não consigo, fecho-me.

      Excluir
    3. Espero que te consigas resolver! E que encontres alguém que te encha as medidas, muita força!

      Excluir
    4. Espero que te consigas resolver! E que encontres alguém que te encha as medidas, muita força!

      Excluir
  9. Estou farta de pensar em todos primeiro que em mim...
    Beijinhos :)
    http://those-colorful-words.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que consigas deixar de fazer isso!

      Excluir
  10. Sinto que estou sempre no meio das coisas, aluada e nunca sei de nada. Basicamente ignorada! ( a rimar e tudo)!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenta integrar-te! Faz um esforço, vais ver que vais conseguir!

      Excluir
  11. Estou apaixonado por uma amiga minha que anda a namoriscar outro rapaz e nunca lhe irei contar; A amizade é mais importante para ser destruída. Gostava de desaparecer durante algum tempo. Tenho uma amiga que quase não me fala e eu não sei o motivo. Tenho medo de falhar. Tenho muito medo de ficar sozinho. Tenho medo de não arranjar um emprego na área que gosto. Gostava de casar. Odeio o meu corpo, tenho vergonha dele. Ás vezes sinto que os amigos que tenho são por favor. Não consigo confiar nas pessoas. Aos olhos dos outros sou forte, mas choro todas as noites.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também já estive apaixonada por um amigo e sei bem o que isso é, a verdade é que lhe contei, não correu bem e a amizade acabou talvez por minha causa que o queria esquecer. Mas olha a vida é assim. Por isso, tenta podes ser correspondido, nada está perdido!
      Quanto ao resto, sê sempre tu próprio, o medo de falhar, de não ser bom o suficiente é normal. Fazem parte. Quanto aos amigos se não te fazem sentir bem não são teus amigos.
      Quanto a chorar todas as noites, até eu já tive essa fase algumas vezes até, mas temos de evoluir e renascer. Espero que melhores e que tudo na tua vida se resolva para o melhor.

      Excluir
    2. Também já estive apaixonada por um amigo e sei bem o que isso é, a verdade é que lhe contei, não correu bem e a amizade acabou talvez por minha causa que o queria esquecer. Mas olha a vida é assim. Por isso, tenta podes ser correspondido, nada está perdido!
      Quanto ao resto, sê sempre tu próprio, o medo de falhar, de não ser bom o suficiente é normal. Fazem parte. Quanto aos amigos se não te fazem sentir bem não são teus amigos.
      Quanto a chorar todas as noites, até eu já tive essa fase algumas vezes até, mas temos de evoluir e renascer. Espero que melhores e que tudo na tua vida se resolva para o melhor.

      Excluir
  12. Quando cometemos um erro e admitimos, é sinal que crescemos, mas quando uma pessoa nos persegue sempre por esse erro e nos acusa de tudo de mal que lhe acontece o melhor é afastar-nos dessa pessoa certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tal e qual. O melhor nesse caso é afastar. A pessoa não nos merece e não nos faz bem.

      Excluir
    2. Obrigada :) Foi isso que fiz ...

      Excluir
  13. Libertar os sentimentos que temos ca dentro é o melhor!

    ResponderExcluir
  14. Fiz um aborto em Novembro de 2013, tinha 20 anos e o meu namorado 17 anos. Apesar de ser uma decisão minha/nossa foi uma decisão que me custou imenso. Queria tanto ver aquelas mãos pequeninas, ver o seu primeiro sorriso e ensina-lo a andar. Mas acima de tudo queria que fosse criado por mim e não pelos avós, queria poder dar-lhe um futuro onde pudesse sonhar alto, um futuro melhor. Mas faltavam 2 anos de curso, o meu namorado ainda tinha um ano pela frente e as nossas famílias estavam muito instáveis ao nível económico.
    Somente a minha mãe sabe o que aconteceu e acho que sem o apoio dela e do meu namorado não conseguiria suportar a dor, e não, não me refiro à dor física porque essa, ao final de 1 dia já desaparece. Falo da dor psicológica. Daquela que me faz chorar quando vejo um bebé, da que me impede de entrar ou sequer olhar as montras das lojas com roupinhas minúsculas. Que me faz virar a cara quando entro numa farmácia e me deparo com biberões, chupetas e tudo o resto. Esta dor acompanha-me sempre e apesar de saber que aquela criança não ia ter um futuro como aquele que sonho dar, hoje mudava a decisão. Mas não vale nada chorar sobre o leite derramado. Perdi o meu maior amor.
    É ainda pior o tempo livre. Aquele em que podemos fazer contas, pensar no passado. Fiz o teste de gravidez às 4 semanas mas eu já sabia o resultado. O nosso corpo é uma maquina que se adapta a nova vida desde os primeiros momentos. Fazendo as contas e considerando o tempo normal de gestação, o bebé iria nascer na semana em que celebrávamos 2 anos de namoro e haverá maior coincidência do que esta? Para mim significa muito.
    Não sei como ganhei coragem, não sei como o fiz. Está feito e dizem-me para não pensar. Mas como podemos não pensar em algo que queríamos mas que por factores externos desistimos. "Quem quer arranja um jeito" e eu desisti do meu próprio bebé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma daquelas histórias que me arrepia sempre. E quem quer que sejas, admiro-te muito. A tua força de vontade e a tua coragem. Não deve ter sido fácil e ainda deve ser difícil passado este tempo. Espero de coração que consigas de certa maneira ultrapassar isto, força! És uma melhor de coragem!

      Excluir
  15. Estou a perder o interesse pelo blog da Carolina do Lucky13... cada vez parece ter mais mania.

    ResponderExcluir
  16. Sempre me identifiquei muito contigo, quando vi o título do blogue e lia as tuas histórias diariamente pensava "afinal não sou a única". Só quero que saibas que és especial, mesmo que as coisas não te corram à feição e que um dia vais encontrar alguém que te faça muito feliz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário encheu-me tanto o coração! Quem quer que sejas, obrigada do fundo da minha alma, a serio. E quanto a ti espero igualmente que encontres alguém à tua medida e que te encha a alma!

      Excluir
  17. Há um ano atrás deixei de ver um rapaz de quem eu gostava e por isso esqueci-o mas quando o via (que eram raras as vezes) parece que o sentimento voltava. mas achava eu que não era nada e voltava a esquecer me dele. Depois comecei a pensar nele frequentemente e não conseguia parar e apercebi-me então que ele ainda causava algo em mim. Ui juro te que quando olhei para uma foto dele tive um pressentimento. Tive mesmo. Tive um pressentimento que íamos ficar juntos. Foi mesmo um pressentimento E não algo que eu desejei naquele momento. Eu como costumo ser bruxa, ou seja, a maioria das coisas que pressinto acontecem, e por isso deixou me então a pensar se não poderia calhar ser bruxa nesta vez tb. Não quero criar grandes expectativas mas será que dar um pouco de esperança faz mal? Será que pode ele não estar interessado agora e mais tarde mudar esse sentimento ? Pronto, aconteceu "algo" entre nós que pode ser a razão para achar lá no fundo que é algo impossível de acontecer mas eu tenho sempre aquele feeling que vai acontecer algo. Que ainda ñ é o fim apesar de ele agora mostrar que vive perfeitamente sem mim. Que me dizes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que te tenho a dizer é: se achas que pode acontecer algo, vai à luta, luta por ele e por vocês, tu mereces ser feliz e se poderem ser felizes os dois, melhor ainda. Se correr mal, pelo menos tentaste!
      Estou a torcer por ti!

      Excluir
    2. Aquilo que nós tivemos foi basicamente eu falava para ele como anônima numa rede social e depois quando descobriu quem eu era rejeitou me. Depois voltei a tentar e daí a conversa foi mais prolongada e eu comecei a acreditar que era pouco provável que me rejeitasse novamente mas aconteceu que rejeitou novamente. Na escola ele começou por fazer má cara quando me via mas depois isso mudou. Começou a ter atitudes muito estranhas. Até uma rapariga começou a achar mesmo que gostava de mim. ate eu. Mas ele nada fez também. Não lutou. Passou um ano e eu depois de começar outra vez a pensar nele e de ver que ele ainda causava algo em mim eu enviei um pedido no instagram. Pensei: porque nao? Nao perco nada se tentar. E assim já dá para ver que se ele rejeitar é pq ñ tenho hipótese com ele e se aceitar é pq é bom sinal. " ele rejeitou. Fiquei mesmo triste ao início. Mas isso ainda ñ me impediu. Continuo a sentir que vai dar algo. Mesmo que ele agora não queira e mostre que vive muito bem sem mim. A sério, não consigo entender porque continuo a achar que não devo desistir, que devo esperar e que ñ devo esquecer me dele. Tenho esperança que as coisas mudem. Acredito que pode ele ter as namoradas que tiver, pode ir morar uns anos para outro país, pode me dar com os pés estar a cagar se em mim agora, que se estiver destinado para mim ele há de vir até mim. Ele vai apaixonar se por mim, seja de que maneira for, se ele estiver destinado a ser o tal.

      Excluir
    3. Sinceramente querida, tenta. Mas nunca deixes de te valorizar, mete te sempre em primeiro lugar! Espero que tenhas sorte!

      Excluir
    4. Muito obrigada :)

      Excluir
  18. Odeio ser uma miúda ansiosa e de me sentir mal quando durmo pouco e quando saio à noite. Sinto-me mal com tudo e tenho medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso depende das pessoas. E eu pessoalmente, não sei o que isso é. Mas espero que consigas arranjar uma boa maneira de lidar com isso! E uma dica, se sempre tu própria e descontrai.

      Excluir
    2. vou tentar, obviamente. obrigada <3

      Excluir
  19. Tenho tanto para fazer que antes de dar em maluca fiz uma pausa para passear na blogosfera e desanuviar a cabeça. Ainda bem, acabei de dar com o teu espacinho :)

    ResponderExcluir
  20. Olá. Conheces-me, daqui deste canto da internet e de outros também. Sempre gostei muito de ti, acho-te muitas coisas boas e sobretudo alegre, por isso nunca consegui partilhar esta história contigo.
    Nunca contei esta história a ninguém, mas já desabafei em breves palavras e por várias vezes no blogue, naqueles posts que nem compreende, só eu; que servem para desabafar.
    Namorei um rapaz. Fazíamos sexo. Aos 8/9/10 (nem sei) meses da nossa relação ele planeou em engravidar-me. Eu tinha 16 anos. Quando acabamos a relação sexual percebi que ele não tinha posto o preservativo, estava ali ao lado dele, na cama. Chorei, gritei. E eu não grito. Estávamos em casa de uma amiga, no quarto, e o pessoal estava todo lá embaixo. Vesti-me à pressa enquanto chorava, ele tentou acalmar-me. Dei-lhe a entender que as coisas estavam mais que terminadas entre nós, que estava desapontada com ele por comprometer a minha saúde e reprodutividade. Chorei mais. Saí do quarto e desci as escadas a limpar as lágrimas. Quando cheguei à sala todos os meus amigos - não dele, porque ele não tinha amigos, apenas tinha os meus amigos - me perguntaram o que se passava, se estava tudo bem, se tínhamos acabado. Confirmei que estava tudo bem e que sim, tínhamos acabado. Agarrei na minha mala e disse que ia embora, que tinha que apanhar ar, todos quiseram vir mas eu preferi ir sozinha (claro que houve um amigo que acabou por vir comigo, mas não lhe contei nada). Quando cheguei ao pé de uma outra amiga contei-lhe uma mentira: disse-lhe que o preservativo se tinha rompido e que precisava urgentemente que ela me fosse comprar a pílula do dia seguinte (ela já tinha experiência em comprar isto), ela foi e so ma deu no dia seguinte. Chorei muito nesta noite. Muito. Tomei a pílula no dia seguinte. Passado uns dias estava atrasada. Fiz um teste de gravidez: negativo. Passado 1 semana do teste estava atrasada. Chorei muito nestes dias. Fiz o teste de gravidez... Nem quis olhar: fi-lo e pu-lo na mala. Eu já sabia a resposta. Contei ao rapaz que tanto odiava. Notei uma certa felicidade que me perturbou imenso. Chorei, o nojento abraçou-me. Deixei porque precisava um ombro onde chorar. Fiz um aborto. Nunca ninguém soube, ninguém dos meus amigos, ninguém da minha família. Tudo o que sempre quis na vida foi ter filhos, e quando comecei a fazer sexo sabia que era um risco, claro, mas se fosse filho do amor... Apesar de ter 16, não me importava de ser mãe. Eu queria ir para a universidade, mas queria ser mãe, sempre quis ser mãe. Eu matei aquela criança porque não queria que fosse filho dele, e não há nada de que me arrependa mais na vida: era meu filho também. E agora, com 18 anos, choro cada vez que vejo algo relativo a bebés. Quero ter filhos, sim, mas nunca mais me aproximei de nenhum rapaz o suficiente: e se ele me faz o mesmo? Não planeio ter filhos já, mas às vezes choro a pensar que agora o meu filho teria 1 ano e meio, e estaria aqui nos meus braços enquanto ando pela blogosfera e me preparo para entrar (se Deus quiser) na Universidade. Era meu filho. Como pude agir assim? Nada nunca se irá igualar a esta dor e a este arrependimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! E obrigada de coração pela primeira parte deste comentário!
      Quanto à tua história, fiquei sem palavras, de boca aberta, é uma daqueles histórias que apesar de tudo merece ser partilhada. Fiquei comovida com tudo isto. No entanto, ainda que seja ligeiramente recente parece me que fizeste a decisão certa. Ainda que custe, aliás, vai sempre custar.
      E sinto que irão demorar anos até que consigas recuperar. Mas pensa comigo, não há pessoas iguais e de certeza que se conheceres um novo rapaz ele não irá ser igual a esse.
      Espero de alguma forma ter ajudado, a verdade, é que sinto que não o fiz. Mas agora só me resta desejar que sejas muito feliz porque mereces sem dúvida alguma.
      Felicidades de coração. E sempre que precisares, estarei aqui!

      Excluir
    2. Olá! E obrigada de coração pela primeira parte deste comentário!
      Quanto à tua história, fiquei sem palavras, de boca aberta, é uma daqueles histórias que apesar de tudo merece ser partilhada. Fiquei comovida com tudo isto. No entanto, ainda que seja ligeiramente recente parece me que fizeste a decisão certa. Ainda que custe, aliás, vai sempre custar.
      E sinto que irão demorar anos até que consigas recuperar. Mas pensa comigo, não há pessoas iguais e de certeza que se conheceres um novo rapaz ele não irá ser igual a esse.
      Espero de alguma forma ter ajudado, a verdade, é que sinto que não o fiz. Mas agora só me resta desejar que sejas muito feliz porque mereces sem dúvida alguma.
      Felicidades de coração. E sempre que precisares, estarei aqui!

      Excluir
    3. Olá! E obrigada de coração pela primeira parte deste comentário!
      Quanto à tua história, fiquei sem palavras, de boca aberta, é uma daqueles histórias que apesar de tudo merece ser partilhada. Fiquei comovida com tudo isto. No entanto, ainda que seja ligeiramente recente parece me que fizeste a decisão certa. Ainda que custe, aliás, vai sempre custar.
      E sinto que irão demorar anos até que consigas recuperar. Mas pensa comigo, não há pessoas iguais e de certeza que se conheceres um novo rapaz ele não irá ser igual a esse.
      Espero de alguma forma ter ajudado, a verdade, é que sinto que não o fiz. Mas agora só me resta desejar que sejas muito feliz porque mereces sem dúvida alguma.
      Felicidades de coração. E sempre que precisares, estarei aqui!

      Excluir
  21. Oláaa! Queria desabafar contigo acerca duma coisa, porque pelo que vi, parece que podes compreender-me.
    Eu terminei o 12º num curso profissional e portanto, não se é obrigatório fazer exames, só é preciso fazer se quiser ir para o ensino superior (na altura não queria ir por isso nem sequer fiz a mesma). A minha ideia começou a mudar tempos depois. Ao inicio so queria acabar os estudos e começar a trabalhar. Mas agora quero tirar um curso, quero formar-me em algo. Só que tem vários problemas: eu sou indecisa. Mesmo.Eu quero seguir fotografia. Só que há o problema do dinheiro (ambas as duas escolas paga-se mesmo muito). Eu decidi parar este ano para tirar a carta, estudar para os exames e arranjar um trabalho que ajude a pagar a escola. Só que eu tenho medo. Medo que no final o dinheiro que tanto investi depois seja botado por agua a baixo, ou seja, que afinal não goste tanto do curso como achava que gostava. A minha irmã e amiga dizem que não preciso de ficar assim. Para arriscar. E se depois de passado um ano vir que não gosto do curso, desisto. Que não é o fim do mundo e que não serei a primeira se o fizer. Quando me dizem para ir em frente, para arriscar, eu fico mais confiante. Mas isso é temporário. Eu devo ser bipolar, porque fico de um momento entusiasmada e ansiosa para que chegue ao próximo ano e no momento seguinte, já fico mesmo em baixo, só me dá vontade de chorar, fico cheia de medo e desanimada. Ainda por cima este tempo ainda me mete mais abatida. Não sei porquê, secalhar são só coisas da minha cabeça, não? Será negativismo e insegurança a mais? Se calhar é só mesmo o medo a falar mais alto? Gostaria mesmo que não chegasse o ano seguinte e acontecesse um desastre. Esta noite dormi mesmo mal e acordei mal disposta, de tão preocupada que estava. Chorei mais vezes do que o costume só num dia (ontem) e hoje andei toda a manhã cismada e tão vulnerável que até chorei novamente. Diz-me se isto é normal!
    Obrigada, beijinhos*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu conselho é que comeces a tirar o curso de fotografia, se não gostares, desistes e escolhes outro! Não há mal nenhum! Quantas e quantas pessoas já o fizeram. O que te aconselho é seguires a tua paixão! E se acabares por não gostar, paciência, há mais cursos!
      Peço-te é que respires fundo, aproveites a vida e sobretudo que sejas tu própria sempre!

      Excluir
    2. Eu este ano não posso , porque não fiz os exames! Tenho 1 ano para estudar para eles!
      Agora que as minhas amigas fizeram a vida delas (uma esta na faculdade e outra na escola) ja nem falamos, so se for ao fim de semana, e eu sinto-me sozinha, fechada em casa! Nao tenho praticamente ninguém e agora que vou ter que estudar muito para conseguir entrar na escola superior , é que nao vou puder sair muito. Sinto-me depressiva. Eu sei que pode ser só este ano, mas tb tenho medo de não entrar e ficar muito pior do que ja estou. Enquanto nao passa esse ano, estou aqui a ver os outros com amigos, a minha amiga a arranjar os dela, a minha outra amiga com outras pessoas e eu aqui fechada. Tenho um coto de inveja da minha amiga que foi para a faculdade, pq ela está a ter oportunidade de se abrir, de conhecer alguem novo , de perder a timidez e eu nao ! Sinto-me sozinha!

      Excluir
    3. Eu estive um ano assim. Os meus amigos foram todos para a faculdade. E admito que por vezes se tornava um pouco stressante mas agora passado um ano estou tão agradecida por ter acontecido. E os meus amigos na faculdade arranjavam sempre tempo para mim, sempre. Por isso, não te preocupes, irás fazer novos amigos e manter os antigos. Um ano passa rápido por muito que agora não pareça.

      Excluir
    4. Tirei então este ano para estudar para os exames e para tirar a carta, ir assistir a aulas para me ajudar nos exames, só que mesmo assim sinto faço mal ao não estar a procurar trabalho ou a trabalhar, apesar de agora não ser aconselhável fazê-lo porque pode tornar-se sobrecarregado. Mas mesmo assim, sinto que estou a fazer mal...omg....

      Excluir
    5. Eu também não trabalhei no meu ano em que estive parada. Apesar de querer, não surgiu a oportunidade. Aproveita essencialmente para descansar e para aproveitares para te conheceres!

      Excluir